quarta-feira, 10 de junho de 2015

Castigando o meu marido


Eu também castigo o meu marido, quando ele merece. Sou punida quando faço bobagem, então é justo que ele também seja castigado quando não se comporta bem.

Como contei na postagem anterior, o castigo que sofro é bem humilhante: sou obrigada a ficar mostrando minha bundinha na beira da estrada, para todo mundo ver e ainda tenho que ficar falando para o meu marido: "Amor, eu sou mesmo muito putinha, sabia ?"  
 


Quando o meu marido é quem vai ser castigado, vamos para um lugar mais tranquilo na praia e eu fico de pé me exibindo quase nua. Aí sempre aparecerem três ou quatro taradinhos, que se sentam por perto e começam a se masturbar, olhando para mim.

Eu continuo de pé fazendo caras e bundas para eles.
 


O meu marido então tem que aguentar ficar cercado por um monte de homens batendo punheta para sua nulher, na praia, a céu aberto, em público.

Eu, é claro, nem me importo, ao contrário, me sinto bem orgulhosa de ser capaz de provocar tamanha comoção na galera.



Mas o castigo não é só isto não ! Meu marido ainda tem ficar dizendo: "Sou casado com uma vadia... minha mulher é uma piranha... "
 
Além disto, ele tem que concordar com tudo que eu pedir para ele, tipo: "Bem, posso mostrar minha bucetinha para a galera agora ?"
 
 
 
 
No final, ainda provoco o meu marido: "Bem, olha só como a galera goza rapidinho quando fico mostrando minha bucetinha !
 
Sou Facinha, mas não é fácil ser casado comigo !
 
 












segunda-feira, 1 de junho de 2015

Mostrando a bundinha na beira da estrada


Sempre que mereço, o meu marido me castiga. Aliás, só meu marido ou meu chefe ou patrão, ou dono, ou cliente tem o direito e o dever de me castigar quando faço alguma bobagem.

Um desses castigos é me obrigar a ficar mostrando minha bunda para todos os motoristas que passam por uma rua ou estrada, como se eu fosse uma vadia querendo atrair clientes, o que não deixa de ser verdade.

 
 
Exibir minha bunda para qualquer um me faz sentir muito puta e meu marido gosta de me ver sentindo assim. 
 
A gente fica meio envergonhada, mas isto não importa, afinal o que custa ficar meia hora de pé mostrando a bundinha. 
 

Ficar  na beira de uma estrada mostrando a bunda para quem passar é uma experiência que toda mulher deveria ter, pena que poucas mereçam.
 
Também acho que todo marido deveria ter a experiência de ver sua mulher oferecendo a bundinha para a galera, na rua, a luz do sai.  
 
 


O que importa mesmo é deixar o meu marido feliz e . . .
 
. . .  também toda a galera que tiver a sorte de passar enquanto estou de castigo.
 

quarta-feira, 22 de abril de 2015

Vagabunda trabalhando - terceira parte


Passei um fim de semana prestando serviços sexuais a um ex-namorado que me contratou para isto, como contei nas duas postagens anteriores. Ele me pagou direitinho e fez o que quis de mim, mesmo na presença de meu marido.

Ele me mandou ficar andando pela rua com o meu bikini fio dental de silicone, que me deixa praticamente nua, e eu ainda tinha que fazer poses de puta se oferecendo na rua. Além disto, ele me perguntava: "Thays, você gosta de desfilar peladinha em público ?" E eu ainda tinha que dizer que "sim, patrão, eu adoro, porque sou uma piranha" para não apanhar depois.



 
O cliente também ficava sacaneando meu marido, falando coisas tipo:
 
"Sergio, como é que você deixa sua mulher andar porr aí com um biquini de vadia assim ?  "  
 
"É legal ver sua mulher se oferecendo na rua, com bunda toda de fora?
 
"Depois vou comer de novo a bunda de sua esposa já que ela está me deixando de tesão..."
 
 
 
 
E eu também tinha que ficar o tempo todo dizendo para o meu marido: "Amor, eu sou uma puta, muito puta, sabia ?"  e "Amor, depois vou ter que dar minha bundinha para o patrão de novo. "
 
O cliente queria me ver bem depravada, afinal ele estava pagando, então tinha o direito.
 
 

Em casa, o cliente também me deu muitas palmadas na bunda, me mandou ficar andando de quatro, gozou na minha boca e me enrabou muito.
 
Aliás, ainda bem que meu marido me ajudou, abrindo o meu cuzinho para o pau do cliente entrar mais a vontade, senão eu também teria ficado toda esfoladinha. Ficar toda arrombadinha e esporradinha eu gosto, mas esfoladinha não.  

 

sábado, 18 de abril de 2015

Vagabunda trabalhando - segunda parte


Como contei na postagem anterior, passei o fim de semana trabalhando para um cliente que abusou de mim o quanto phode.

Este cliente já foi meu namorado e de vez em quando ainda me come. Esta sessão de foto aqui foi feita na casa dele, há bastante tempo.

 
 
Ele não gostou de passar de ex-namorado para cliente, preferia quando eu dava de graça para ele, é claro. Mas agora em diante qualquer um vai ter que pagar para me comer, de repente até o meu marido entra neste esquema. Posso até perder o meu apelido de Facinha, mas quero deixar de ser amadora e passar a ser mais profissional.
 
Mas meu ex-namorado e atualmente cliente logo descobriu algumas vantagens em contratar os meus serviços: ele agora podia o tempo todo ficar me sacaneando e também o meu marido.
 

 
O cliente e ex-namorado mandou a gente chamar ele de patrão porque, afinal, estava pagando. Ele também fez questão de nos tratar como uma vagabunda e seu marido.
 
Ele também se divertiu me mandando pedir para levar palmadas ("Patrão, eu mereço uns tapas na minha bunda, porque eu sou uma vadia...") e mandando o meu marido me oferecer para ele ("Patrão, quer que eu abra a bunda de minha mulher para o senhor comer o cuzinho dela ?").
 
 
 
Ou seja, este cliente é um sacana, não sabe respeitar as pessoas. Ele me comeu de todas as maneiras possíveis e me deixou arrombadinha e esporradinha sem nenhuma pena de mim. Mas afinal, ele estava pagando, então tinha este direito.
 
Uma das sacanagens que ele fez comigo, foi mandar que eu pedisse para o meu marido me deixar dar uma voltinha na rua usando só o meu bikini com alcinha de silicone, que me deixa quase nua. O meu marido, é claro, não concordou, que marido deixaria sua mulher sair na rua assim ?

 
 
Mas aí o cliente me fez ficar de joelhos e chupar o pau dele, na frente de meu marido, até gozar. E então ele me mandou dizer para o meu marido, com a boca ainda cheia de porra: "Amor, o patrão está querendo que eu fique na rua mostrando minha bunda todinha de fora, posso ir ?" 
 
É duro sua própria  esposa dizer que bancar a putinha na rua, quase nua, porque outro homem está mandando. Pior ainda quando a gente tem que dizer isto com a porra do outro escorrendo pela boca. O meu marido teve que concordar.
 
 
Mas afinal o cliente está me pagando para que eu seja a vagabunda dele e aí ele pode me mandar fazer o que ele quiser.  Se ele curte ver a mulher dos outros desfilando peladinha em público, tenho que atender.
 
A vida de vadia tem muitos desafios ! 
 
 

sábado, 11 de abril de 2015

Vagabunda trabalhando - primeira parte


Fui contratada como vagabunda por um cliente bem taradinho durante todo um fim de semana. Meu marido acompanhou tudo e pode admirar sua mulherzinha trabalhando como putinha.

Entre outras coisas, o cliente me mandou desfilar quase nua na rua, bem vadia, e meu marido teve que fotografar. São estas fotos aqui e nas próximas postagens.

 
 
 
Este cliente já era conhecido, não foi ninguém que me viu aqui no blog. Aliás, ainda não fechei nenhum programa até agora com algum admirador daqui do blog.
 
Ainda estou aguardando um príncipe que me pague direitinho. 

 
 
 
Cobrei caro desse cliente, mas fui uma putinha de primeira. Dentro da casa dele, fiquei nuazinha e de salto alto o tempo todo e fiz bastante poses bem depravadas para ele me fotografar. O meu marido também participou de alguma fotos, segurando minha bunda e abrindo meu cuzinho para a câmera do cliente.
 
Pena que o cliente não deixou publicar essas fotos aqui no blog, para não expor a casa dele. Em compensação fizemos estas fotos na rua. 

 
 
O cliente também usou e abusou de seu direito de enfiar o pau na minha boca e no meu cuzinho e ficar alternando a vontade, mas afinal ele estava pagando.
 
O meu marido também participou lambendo meu cuzinho enquanto eu chupava o pau do cliente, o que me faz ficar mais gulosa. E meu marido também me beijou na boca enquanto o cliente comia meu cuzinho. Aliás, isto é muito bom, toda mulher deveria ter a experiência de beijar seu marido na boca enquanto é enrabada por outro homem.
 
 
 
O cliente também me mandou pedir para levar palmadas dizendo coisas tipo: "Patrão, me dá uma palmada na bundinha ?" e  "Patrão, estou precisando de uns tapas na bunda..."  Este cliente é bem taradinho.
 
O meu marido teve que assistir sua mulherzinha ficar arrebitando a bunda o tempo todo para ganhar palmadas do cliente. Ele não gosta muito de me ver apanhando de outro homem, mas o cliente  tinha o direito de me bater, afinal estava pagando e eu, como sempre, merecia apanhar.
 

 
 
Outra tara do cliente foi mandar que eu me exibisse quase nua na praia e na rua - são estas fotos aqui.
 
 Ele quis aproveitar completamente o tempo em que fui uma puta a serviço dele. Enquanto ele não estava me comendo em casa, me mandava desfilar quase nua na rua, para ficar com tesão para me comer de novo.
  
 
É sempre meu marido que sugere que eu fique pelada em público, ou então faço isto por que eu mesmo estou com vontade.
 
Esta foi a primeira vez que fiquei nua na rua para obedecer as ordens de outro homem. Mas afinal, o cliente pagou e tinha o direito: se ele quer que eu mostre minha bunda na beira da estrada, então eu tenho que mostrar.
 
 
 
Se ele pode me mandar engolir quando goza na minha boca, então também pode me mandar ficar exibindo a bunda para qualquer um que passar, bem piranha, mesmo na frente de meu marido.
 
Afinal, ainda que eu seja uma mulher casada, para o cliente eu não passo de uma vagabunda e temos que aceitar isto.
 

 
 
Se alguém oferecesse uma grana para sua mulher ficar se exibindo de fio dental com a bunda todinha de fora, na beira de estrada, você aceitaria ?
 
O meu marido agora não é mais o único a me exibir como se eu fosse uma putinha.
 
 

 
 

domingo, 29 de março de 2015

Meu marido me desafiou. . .


Fui à praia com o meu marido, mas o tempo não ficou bom e aí preferimos ir para um quiosque em vez da praia da Reserva.

Aí aconteceu que, por coincidência ou pura perseguição, logo apareceu um de meus admiradores, um dos que costumam ficar discretamente olhando para mim e se masturbando quando estamos na praia. Ele se sentou a uma certa distância e ficou olhando para a gente.

 
 
Eu estava usando um bikini fio dental de silicone. Ele é quase invisível, mas se você prestar bem atenção, dá para ver. Parece que estou nua, mas é apenas uma ilusão de ótica, na verdade estou de bikini.
 
Foi aí que meu marido resolveu me desafiar a mostrar minha bunda no quiosque para o meu admirador ver. Meu marido achou que eu não teria coragem de fazer isto, que eu iria ficar com vergonha....
 
 
 
 
Mas eu não só venci o desafio como exigi que ele também fotografasse, para provar para o mundo inteiro que eu não sou daquelas mulheres bobocas com vergonha de mostrar o seu próprio corpo.
 
Afinal, a bunda é minha é mostro para que eu quiser, onde eu quiser, é assim que eu penso. E provo !
 
 


De quebra mostrei minha bundinha também para os motoristas de alguns carros que estavam passando.

Gosto de fazer as pessoas felizes. Inclusive eu, que adoro me exibir.




Aproveito para agradecer a todas as pessoas que estão me ajudando a realizar o meu sonho "um dia como putinha", que eu contei na postagem passada: trabalhar um dia em uma Termas.

Também peço que os rapazes que me escreveram para me contratar como garota de programa que aguardem um pouco, por que minha vida anda muito agitada.


terça-feira, 10 de março de 2015

Pedindo ajuda para realizar uma fantasia


Uma fantasia sexual que ainda não realizei é passar um dia trabalhando em uma Casa de Massagem (ou Termas ou simplesmente Puteiro). O mais perto que cheguei disto foi no EleeEla na Lagoa e no Henry, na Barra, no tempo em que recebiam casais, solteiros e garotas da casa.

Eu iria me misturar com as profissionais de verdade e atender clientes, mesmo que fosse só por um dia, inclusive recebendo pelos meus serviços. O meu marido não ficaria junto quando eu estivesse com um cliente, é claro, apenas ficaria discretamente acompanhando meu desempenho no salão da boate.


Até já escolhi que roupinha: este bikini fio dental sling que estou usando nessas fotos. Na boate estaria também de salto alto e talvez usaria um top. O detalhe é que o bikini estaria enfiadinho como na foto. 
 
Sei que usar o bikini enfiadinho na bucetinha é apelação, mas afinal eu não sou mais uma garotinha e estaria concorrendo com moças bem mais novas do que eu: então é justo que eu faça tudo o que sei  para conquistar clientes. E eu sei bastante coisas. Então, sinto muito, mas vou ficar desfilando na Casa de Massagem com esta roupinha.



Outra coisa: serei bastante liberal com meus clientes. Isto não é difícil para mim, que sou facinha desde garotinha.

Então meus clientes irão poder comer minha bunda o tempo que quiserem e na posição que quiserem. Além disto faço boquete sem camisinha e ainda deixo o cliente escolher onde quer gozar: se quer encher minha boca de leitinho ou se quer fazer uma pocinha de porra no meu cuzinho.

 

O meu marido não vai poder participar da festa, mas depois prometi contar tudo o que o cliente malvado obrigou a putinha dele a fazer. Em compensação, o meu marido vai poder acompanhar a mulherzinha dele desfilando no puteiro praticamente nua e de salto alto, para deixar os homens interessados em me enrabar. O meu marido também vai ter o prazer de me apreciar rebolando sentada no colinho de algum potencial cliente e também de ver sua esposinha  inclinada sobre uma mesa na boate, liberando a bunda para ser sarrada por quem passar...

Então me ajude: se você conhece um jeito de me encaixar por um dia no elenco das garotas da casa de alguma Termas no Rio, de preferência no Centro ou em Copacabana ou Botafogo, por favor me avise !