domingo, 28 de setembro de 2014

Como fazer sucesso em uma boate swing


Meu primeiro leilão, em São Paulo, foi um fracasso. Vou tentar de novo aqui no Rio de Janeiro, no mês que vem, aguardem. Pelo menos aproveitei a minha ida a São Paulo para me divertir em uma boa boate de swing. Aqui no Rio não tem nada que preste. A 2a2 depois que mudou de endereço se perdeu, Mistura Certa é meio esquisita e a Vogue Rio tem potencial, mas ainda não se achou.

Tenho algumas artes e técnicas para fazer sucesso em boate de swing. Em primeiro lugar, uma saia bem curtinha, do tipo que deixa toda a bunda de fora com a menor inclinadinha. Este marketing é muito importante por que a maioria dos solteiros presentes tem a fantasia de comer a bunda da mulher na frente de seu marido e aí é bom dar um sinal de que a gente brinca disto.


 

Outra técnica para dar e se dar bem em uma boate de swing é escolher um canto legal da boate e ficar de cara para uma parede com a bundinha arrebitada esperando para ver o que acontece, como na foto abaixo.

Isto costuma atrair um enxame de rapazes querendo tirar uma casquinha. O meu marido até sai de perto para não atrapalhar.
 
 


Nem sempre fico parada, as vezes quando vejo algum homem que me dá tesão, parto para o ataque: levanto a saia e esfrego minha bunda nele. No dia a dia não dá para fazer isto, infelizmente, mas em uma boate de swing, isto phode sim.

Isto é uma receita infalível para fazer alguém comer sua bunda.


 
 
 
E uma outra técnica infalível é ficar de quatro em alguma sala onde haja solteiros. Isto é muito emocionante de fazer, mas não é qualquer mocinha que tem coragem...
 
 
Isto também não é para qualquer marido não. Tem que curtir ver a esposa oferecendo a bundinha para a galera e depois sendo enrabada em público.
 
 


 
 
 




terça-feira, 23 de setembro de 2014

O leilão de minha bunda não deu certo


Não vou mentir: o leilão de minha bundinha foi um fracasso. Recebi muitas propostas, mas quase todas incompletas. Alguns candidatos não mandavam fotos (ou são ridicularmente tímidos ou são feios demais, nenhum dos dois me interessa), outros não diziam quanto pretendiam pagar, e alguns não diziam coisa com coisa. Sem falar nos que queriam mudar as regras (tipo: "a minha mulher também tem que participar" ou "não quero seu marido junto", ou "quem faz as regras sou eu".... que bobinhos !). Recebi dois lances completos e interessantes, mas ambas eram de rapazes novinhos demais. Eu já passei dos quarenta e não quero trabalhar como baby sitter, e sim como puta. A gente tem que explicar tudo !

 
 
Então fiquei meio desperdiçada em São Paulo, eu pena. Qual é o problema com os paulistas ? Alguém pode me explicar ? Eles não gostam de comer uma bunda como a minha ?  Paciência.
 
 

 
Como não consegui nenhum cliente para me enrabar, fui castigada pelo meu marido, que me fez ficar de joelhos e me deu algumas palmadas para que eu deixasse de ser tão exigente. Doeu um pouquinho, mas eu mereci. Nenhuma mulher se importa em levar algumas palmadas na bunda, quando sabe que são merecidas.
 
 
 
 
 
Pelo menos houve duas noites em que eu me diverti usando roupinha da Roparara, uma butique em São Paulo especializada em vestir garotas de programa profissionais ou amadoras. As sainhas são sempre bem curtinhas, mas sempre podem ficar ainda menores com uma ajudazinha. Homens adoram quando uma mulher levanta a sainha para mostrar a calcinha.
 
 

 
 
 
 
 

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Leiloando minha bundinha, enfim !


Quanto você quer pagar para me comer a bunda ?

Como prometi, vamos realizar o leilão de minha bunda. A melhor oferta ganha o direito de comer minha bundinha do jeito que quiser durante duas horas inteirinhas.


 
 
Tudo isto, é claro, com o apoio moral de meu marido, que foi quem teve a idéia do leilão e com a devida benção de minha mãe, que compreendeu que já estava passando da hora de eu agir com mais profissionalismo em vez de ficar dando de graça em boates de swing.


A primeira edição do leilão vai acontecer em São Paulo, capital. Estaremos em um hotel na região do Brooklin Paulista ou em Moema. Tudo vai rolar na semana de 15 a 19 de setembro, sempre a partir das 18:00h. Se você é do Rio, não se desespere, vai ter uma edição aqui, mais tarde.
 
 
 
 
 
E quem é que ganha ? Quem fizer o melhor lance será o arremetante de minha bunda, ou melhor, o arremetente. Eu serei a vagabunda que será arrematada, ou melhor, a arremetida.
 
E como fazer para dar um lance ?  É simples: basta mandar um e-mail para thaysfacinha@gmail.com  Neste e-mail, o participante diz que pre$entinho pretende me oferecer, Também deve anexar fotos recentes, do rosto e do corpo inteiro, pode ser vestido,  e pode ser, por exemplo, uma foto que já esteja na internet, se não quiser se comprometer. O participante deve ainda escrever algumas linhas, contando quem é (qual seu nickname, idade, etc), o que faz (não precisa entrar em detalhes) e o que pretende fazer comigo, para ver se há afinidades  intelectual, sexual e financeira.
 

 
 
E como será avaliado o melhor lance ? A avaliação será realizada exclusivamente por mim e vou levar em conta três aspectos: a aparência, a redação e os honorários oferecidos pelos meus serviços de vadia. Minha avaliação será soberana e irrecorrível. Um detalhe: se você é um rapazinho, sinto muito, poucas chances. Já cheguei nos quarenta e não pretendo tomar conta de nenhum menino.
 
E qual o prazo para os lances ? Serão considerados válidos todos os e-mails enviados de hoje  até 07/09.  E-mails enviados fora deste período (antes ou depois) não serão  considerados. Também não serão considerados qualquer oferta realizada através dos comentários deste blog. Só vale e-mail para thaysfacinha@gmail.com Se você já realizou alguma oferta, terá que fazê-lo de novo.
 
 
 
 
E quando será informado o resultado de minha avaliação ? Na semana de 08 a 12 de setembro enviarei um e-mail para o felizardo, isto é, o arrematante vencedor ou arremetente. Cuidado, só é válido o e-mail que for originário de thaysfacinha@gmail.com e que tiver como anexo uma "foto certificadora", ou seja, uma foto minha, original, completamente nua, no mesmo quarto acima (confira o pôster e a cama). Não vá cair em roubada !
 
 
E como o arremetente poderá usufruir de seu prêmio ? No dia que for mais conveniente para todo mundo (na  semana de 15 a 19 de setembro, a partir das 18:00h) marcamos encontro em um barzinho próximo ao meu hotel, sem compromisso de parte a parte. Aí então, se rolar uma química e acertados os aspectos pecuniários vamos para o hotel tratar dos aspectos cuniários... (não sou engraçadinha ?)
 
 
 
 
Além do pre$entinho, o que mais o arremetente terá que pagar ? Mais nada, estarei no hotel a trabalho, então o hotel já está pago. Mas o pre$entinho tem que ser em dinheiro, no momento ainda não aceitamos cartão de crédito, nem vale-transporte e muito menos papéis do governo argentino.
 
O arremetente poderá tirar fotos ?  Nem pensar. Por outro lado o arremetente não irá aparecer em nenhuma foto porventura tirada por meu marido a menos que autorize expressamente, mas sempre de forma que não possa ser identificado.
 
 


 
 
Serei a vagabunda do arremetente por duas horas. O que me comprometo a fazer ?
São dez coisas:
 
1 - Ficar um pouco de fio dental na varanda ou na janela do quarto, para todo mundo saber que ali tem uma puta a serviço;
 
2 - Desfilar e dançar pelo quarto, fazendo poses, nuazinha, de salto alto e com um consolinho enfiado no cuzinho;
 
3 - Sentar nuazinha no colo do arremetente, deixar ele enfiar o dedinho no meu cuzinho e aí vou dizer a sacanagem e a baixaria que ele quiser que eu diga (até mesmo que vou votar no Garotinho, digo qualquer safadeza que ele me mandar dizer, com um dedo no cuzinho);
 
4 - Pedir para o arremetente me dar umas palmadas na bunda por eu ser assim tão vadia (mas sem machucar !);
 
5 - Ajoelhar-me em frente do arremetente e chupar seu pau com gosto;
 
6 - Pedir para o arremetente ficar alternando o pau na minha boca e no meu cuzinho (mas só a cabecinha) até cansar;
 
7 - Ser enrabada pelo arremetente de todos os jeitos e posições que ele quiser. E rebolar muito enquanto isto;
 
8 - Ficar de quatro na frente do arremetende e deixar ele enfiar alternando no meu cuzinho ou na minha bucetinha, a vontade (mas aí tem que estar de camisinha);
 
9 - Deixar o arremetente encher minha boca com seu leitinho;
 
10 - Pedir para o arremetente gozar sobre a minha bunda, para eu poder sentir sua porra escorrendo sobre o meu cuzinho arrombadinho (acho isto bem gostoso...)
 
   

 
 
E o meu marido participa ?  Sim, participa, mas apenas de três maneiras:
 
1) Abrindo minha bunda para facilitar o arremetente enfiar o pau no meu cuzinho.
 
2) Me beijando na boca (só meu marido pode me beijar na boca, é a nossa tradição) enquanto o arremetente me come a bunda. Meu marido adora ver a carinha de safada que faço enquanto sou enrabada por outro homem.
 
3) Lambendo meu cuzinho: isto é legal para todo mundo:
 
- é legal para o arremetente por que enquanto o meu marido estiver fazendo isto, estarei chupando o pau do arremetente e fico muita mais gulosa quando tenho uma língua no meu cuzinho;
 
- é legal para mim, por que assim meu cuzinho fica mais lubrificado e evito que fique assadinha, além de facilitar o arremetente enfiar o seu pau mais fundo, que é como eu gosto.
 
- é legal para o meu marido, por que ele pode constatar com a língua como o cuzinho de sua mulherzinha está ficando cada vez mais arrombadinho a medida que o arremetente faz a festa.
 



 
 
 
 

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Posando quase nua na porta da casa do delegado


Estas fotos foram tiradas em frente a casa de um delegado que fica no caminho entre a casa de minha mãe e a praia.


Estava indo à praia, com meu marido e minha mãe, e aí ela comentou que aquela casa grande com o muro laranja era de um delegado.



 
 
 
Aí tive uma idéia bem safadinha: pedi para o meu marido e minha mãe se afastarem por alguns minutos, irem para o outro lado da rua, para eu ficar sozinha na calçada da casa.


A brincadeira era fazer quem passasse por lá e me visse quase nuazinha pensar que eu estava esperando abrirem a porta para mim...





Fiquei lá durante durante uns quinze minutos, passaram vários carros e motos, mas ninguém a pé.


Cada carro que passava eu fazia questão de mostrar como minha bunda fica bonitinha com o biquíni fio dental que minha mãe fez para mim.


 
 
Meu marido se divertiu com a brincadeira: não é todo dia que a mulher brinca de bancar uma putinha na calçada da casa de um delegado...
 
 
Mas a minha mãe ficou um pouco preocupada: e se aparecesse um carro de polícia ?
 



Felizmente nenhum carro de polícia passou, só carros comuns e algumas motos. É uma rua muito tranquila. Toda vez que eu via uma carro se aproximando, eu caprichava na pose. As pessoas devem ter pensado que  em frente  a casa do delegado havia um ponto de puta, em plena luz do dia.

 
Meu marido depois da brincadeira tirou essas fotos para ficar de recordação. Ele também me mandou empinar a bunda e me deu umas palmadas no meio da rua. Eu mereci !
 
 




domingo, 3 de agosto de 2014

Mais fotos quase nua na rua


Agora que vou leiloar minha bunda pela internet, resolvi também ir para a praia só de fio dental.

Como já contei, acho excitante andar assim quase nua pelas ruas da casa de minha mãe até a praia.

 
 
Ficar com o bumbum de fora na rua é um direito que toda a puta tem.
 
E agora que meu marido me convenceu a dar a bunda a quem me der um pre$entinho, também tenho este direito.
 
 
 
 
Essas fotos podem dar a impressão que eu estava andando sozinha, mas não foi assim. Meu marido estava sempre ao meu lado, só se afastava para tirar as fotos.
 
Outra coisa: as ruas não são tão vazias como parecem. O que acontecia é que a gente só fotografava quando não tinha ninguém passando, para não chamar tanta atenção.  
 
 
 
 
 
Fui três vezes à praia de fio dental e sandalinha de salto alto.
 
Tenho muitas fotos para publicar aqui no Blog, vou fazer isto aos poucos.
 
 
 
 
Da casa até a praia são cerca de três quarteirões, mas a gente sempre fazia um caminho mais longo.
 
Pena é que no caminho não haja um barzinho para eu dar uma paradinha; apenas casas. Eu iria fazer um imenso sucesso, vestida assim.
 
  
 
 
 
Ir a praia usando só um fiozinho na bundinha é legal para mim por quatro motivos diferentes:
 
Primeiro, para deixar meu marido feliz. Que marido não gosta de andar de mãos dadas com a esposa, quando ela está com a bunda toda de fora ?
 
  
 
 
Segundo, para fazer a alegria da vizinhança e de quem der a sorte de passar na hora.  
 
Terceiro, para fazer a alegria de quem resolve passar aqui neste blog
 
 
 
 
Quarto, para fazer minha própria alegria, porque acho que essas fotos irão estimular lances mais $ub&tanciai$ pelo direito de usar e abusar de minha bunda, na hora do leilão.
 
E por falar no leilão: sei que estou prometendo há muito tempo e até agora nem disse como é que vai acontecer.
 
 
 
Um pouquinho de paciência, por favor. Estou tendo que fazer várias viagens a trabalho e minha agenda anda muito complicada. Assim que  tiver uma chance, informo como e quando será.
 
Aguardem !
 




 


sábado, 26 de julho de 2014

Alegria do marido


Me ver de bundinha de fora em um local público é uma das coisas que deixa o meu marido mais feliz. Então como sou uma boa esposa e quero alegrá-lo, resolvi desfilar de fio dental no caminho entre a praia e a casa de minha mãe, na Região dos Lagos.

E, pensando bem, por que usar canga ? Na praia, que é pública, fico mesmo de fio dental. Na casa de minha mãe, também. Então por que não ficar de fio dental entre a praia e a casa ? O caminho é público que nem a praia.



Tem marido que não permite que a mulher deixe sequer a popinha de fora. Ainda bem que tive a sorte de meu marido não ser um babaca assim. Ao contrário, ele me dá a maior força para eu mostrar o que quiser, sempre que quiser.


O meu marido diz até que tem orgulho de mim, quando fico assim semi-nua em público, porque isto deixa a galera morta da inveja dele. Posso não ser mais uma mocinha, mas, modéstia a parte, não é todo mundo que tem uma mulher como eu em casa, .




Eu também achei uma delícia a experiência de ficar andando pela rua assim meio nuazinha, me sentindo bem putinha.

Eu ficava toda hora pensando: "quem me vir assim, vai pensar que sou uma garota de programa..." Isto me dava ainda mais tesão.
 
 
 
 
Outra vantagem de não usar canga, nem camiseta nem short para ir a praia, só o bikini mesmo é que assim não arrisco ficar com marcas estranhas de sol. Tudo fica queimadinho por igual, exceto a marquinha do fiozinho atrás.
 
Isto com certeza vai aumentar o valor dos lances no leilão de minha bundinha, conforme eu já contei em outras postagens. Pena é que este leilão já esteja meio atrasado e que vá atrasar ainda mais. Problemas de agenda, sou uma mulher bem ocupada.
 

 
 
Acho que toda mulher deveria experimentar a sensação de andar pela rua com a bundinha totalmente de fora, só com um fiozinho atrás. É bem emocionante.
 
Também acho que todo o marido deveria ter o prazer de assistir sua esposa desfilar com um fio dental na calçada, para quem passar poder admirar sua mulherzinha sem vergonha praticamente nua.
 
 







domingo, 13 de julho de 2014

Alegria da Vizinhança

Fiquei muito contente de minha mãe ter concordado que eu preste serviços profissianais a quem me fizer uma boa oferta por e-mail. Ela compreendeu que eu não iria fazer isto só por dinheiro, mas também por que gosto e que a aparência do candidato também seria levada em conta - ele vai ter que mandar uma foto. Minha mãe só estranhou o meu marido aceitar que outros homens paguem para comer a bunda de sua mulher, mas isto é problema dele, afinal.

Depois de ter feito a alegria de um vizinho, o Valdisnei, como contei na postagem anterior, achei que podia fazer também a alegria da vizinhança toda e pedi para o meu marido tirar essas fotos no portão da casa de minha mãe.




É bem divertido ficar de bunda de fora no portão da casa da mãe, me exibindo para quem passar. Dá uma sensação de que sou uma menina mal comportada e que estou fazendo arte. Até minha mãe, que sempre me incentivou a não ter vergonha e nem esconder meu corpo, disse: "Thays, minha filha, você está ficando muito levada, merece umas palmadas..."

Isto aliás me lembrou de que meu cliente também poderá estalar palmadas na minha bunda, está incluído no pacote. Além de dar a bunda, também vou ter que apanhar.



 
A verdade é que a rua da casa de minha mãe é muito tranquila e não passou ninguém a pé durante todo o tempo em que fiquei tirando fotos, só um rapaz de bicicleta, outros dois de moto e alguns carros.
 
Então eu ficava só esperando e, quando passava alguém, me virava para falar com minha mãe que estava dentro de casa e aí mostrava a minha bunda.
 
 
 
 
O meu marido tirou esses retratos na hora que não tinha ninguém passando. Quando aparecia alguém, ele disfarçava e ficava curtindo sua mulherzinha se exibindo quase nuazinha. Adoro me exibir em um lugar público e sei que sempre posso contar com o apoio e estímulo de meu marido para isto.
 
Aliás, acho que todo casal deveria ter esta experiência: o marido ficar apreciando a esposa na porta de casa mostrando a bunda para quem passar na rua. Isto fortalece os laços conjugais.

 
 
Ficar quase nua na calçada é mais emocionante do que na praia, mas ao mesmo tempo fico um pouco constrangida por estar sendo tratada como se fosse um objeto. Parece que sou um automóvel bonito, importado, e meu marido me coloca na porta da garagem da casa para que os vizinhos morram de inveja.
 
Mas, no fundo, também gosto de ser tratada como um objeto sexual, então não tem problema.
 
 
A parte que eu acho mais legal é imaginar que qualquer um que me veja peladinha assim na calçada vai pensar que sou uma putinha. Toda mulher gosta de ser confundida com uma putinha. E todo homem marido também gosta de ver sua mulher neste papel, é super normal.
 
Aliás, minha mãe em uma certa altura sacaneou o meu marido: "Você não liga que toda vizinhança pense sua esposa é uma puta?". O meu marido respondeu: "E a senhora também não se importa que sua filha fique se oferecendo praticamente nua na porta de sua casa?" Os dois se entendem...
 
 
 
 
Antigamente, como já contei aqui neste blog, meu marido e eu íamos para a Avenida Atlântica, no sábado a noite, eu com um minishort de lycra todo enfiado na bunda, e ficava me oferecendo para os motoristas dos carros que passavam, com o meu marido acompanhando à distância. 
 
Hoje em dia não dá para fazer mais isto, mas em compensação uma das atrações que está incluída no pacote de atrações que meus futuros clientes terão direito é de me assistir desfilando nuazinha na frente da garagem do quarto de motel até que passem pelo menos três carros. O meu marido quer que várias pessoas me vejam nua e de salto alto para que haja testemunhas de que sou uma puta atendendo a um cliente.
 
 
 
Ficar quase nua para fazer a alegria da vizinhança é uma coisa muito recompensadora e não ligo que pensem que sou uma vagabunda, o que importa é que meu marido se sinta orgulho de ter uma mulher tão gostosa e facinha.
 
Acho que todas as mulheres deveriam praticar um pouco de exibicionismo, isto é muito bom para o moral !